Educação em 1º lugar


Algumas metas que o poder público precisa alcançar para a efetiva valorização do Magistério: 

1. Atender a Lei 11.738/2008 (art. 2º), que estabeleceu além do piso nacional para os profissionais do magistério público da Educação Básica, na composição da jornada de trabalho deve-se observar o limite máximo de 2/3 (dois terços) da carga horária para o desempenho das atividades de interação com os educandos. Logo, 1/3 da jornada será dedicado à preparação de aulas e às demais atividades fora da sala;

2. Valorizar os profissionais da educação (todos os profissionais - professores e demais servidores) com a análise e revisão dos Planos de Cargos e Salários, reparar as perdas salariais previstas por lei;

3. Investir na formação continuada para valorização docente com cursos, palestras e pós-graduação;

4. Acabar com o favoritismo político para os cargos de gestão escolar e supervisão, abrindo o concurso para o cargo, como forma de contribuição ao plano de carreira para o magistério. Formação constante para os gestores e supervisores referente a legislação pertinente;

5. Apoiar as atividades extracurriculares de incentivo a qualidade de educação com competições interescolares para os alunos, premiando por mérito as escolas competidoras em concursos literários, científicos, olímpicos, paralímpicos entre outros;

6. Criar um núcleo de gestão compartilhada em rede para saber o que acontece com as escolas, notas e faltas de alunos, onde há vagas disponíveis, ocorrências, advertências, suspensões, transferências compulsórias entre outras informações;

7. Capacitar o professor para o atendimento aos alunos com necessidades educacionais especiais, bem como dar todo o suporte necessário para a execução do seu trabalho;

8. Mais investimento em infraestrutura nas escolas, bem como investimento em educação tecnológica e sustentável;

9. Tornar o ambiente escolar responsável e seguro com investimento na ronda escolar;

10. Investir na contratação de equipes multidisciplinares nas diversas diretorias de ensino, que possam dar apoio, suporte e orientação aos professores com relação às diversas dificuldades encontradas no dia a dia escolar. 

Dra. Regiane Souza Neves - Tem 42 anos, é casada com o Jornalista Marcelo Neves há 20 anos, mãe de Bruno 18 anos e Allan 17 anos. É doutora e mestra em psicanálise; psicopedagoga e neuropsicopedagoga; psicomotricista; neuropsicóloga; orientadora vocacional; especialista em educação, inclusão, legislação educacional, saúde mental e políticas públicas. Técnica em magistério público e comunicação social. Atua há 25 anos na área da educação onde foi auxiliar de sala, professora, coordenadora e diretora, sendo que nesta última função permaneceu por 19 anos. Também atua há 10 anos na área de psicoterapia e análise comportamental e institucional. Está devidamente cadastrada no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para atuar como Perita Judicial e Extrajudicial, nas suas áreas de conhecimento técnico-científico. Atualmente, coordena e ministra aulas em programas de pós-graduação e, além de atender clinicamente, também realiza consultoria educacional para várias instituições de ensino e órgãos públicos. Tem 11 livros publicados com 56 selos de recomendações de importantes instituições. Realiza palestras, treinamentos, cursos, workshops, seminários, colóquios, conferências, mesas redondas e congressos. Desde 2013, é mantenedora e diretora do CEADEH Centro de Estudos Avançados em Desenvolvimento Educacional e Humano. Foi presidente nacional da ABRAPEE Associação Brasileira de Profissionais e Especialistas em Educação, no período de 2013 à 2018. Dedica-se a causas sociais e se tornou Embaixadora no Brasil de uma campanha mundial, durante o período de 2015 à 2018. Recebeu 27 prêmios e homenagens nacionais e internacionais.

Foto: ministrando curso gratuitamente de extensão universitária para professores (2016).