Quantidade de pessoas que seguem este blog:

Seja um seguidor deste blog (preencha com seu e-mail)

As diversas possibilidades do SANDPLAY

Imagem do Google
“O Jogo de Areia não é apenas um método de terapia, mas um meio criativo através do qual o conteúdo da imaginação se torna real e visível. Além disso, proporciona ao terapeuta uma oportunidade única de observar os processos de desenvolvimento e de cura.” Dora Kalffy

O Sandplay foi desenvolvido pela Analista Junguiana Dora Kalff, em Zollikon, Suíça. No Japão, na Europa e Estados Unidos vêm crescendo e se difundindo muito, onde profissionais o usam como método terapêutico em consultórios e hospitais, podendo ser realizado por pacientes de qualquer idade.

Criando cenas da psique, podemos observar em que ponto estamos. As cenas contam histórias e revelam os mais profundos segredos da alma.

É uma técnica que possibilita diversas maneiras de utilização tanto para diagnóstico quanto para intervenção de problemas emocionais, psicológicos, comportamentais entre outros.

O Sandplay (denominado também como Jogo de Areia no Brasil) é um método terapêutico baseado nos conceitos psicológicos de Jung. Tratando-se de uma metodologia especializada, pode ser utilizado tanto para crianças como para adolescentes e adultos. Consiste no uso de uma caixa contendo areia, na qual o paciente pode colocar miniaturas, ou manipular a areia com as mãos ou pás, criando cenários dentro de um espaço “livre e protegido”, proporcionado pelo relacionamento terapêutico e pela continência da caixa.

As imagens construídas geram um contínuo diálogo entre consciente e inconsciente na psique do paciente, ativando o desenvolvimento da personalidade. O sucesso deste método deve-se ao fato de que, funcionando a psique por meio de imagens, a construção de cenários é, consequentemente, uma ponte direta com o inconsciente do paciente, frequentemente de difícil acesso.

As séries de imagens são fotografadas pelo terapeuta e armazenadas, podendo posteriormente fornecer uma visão concreta de todo o processo e, no momento oportuno, proporcionar ao paciente e ao analista a retomada de toda a série de cenários, que foram construídos fazendo conexões e integrando as imagens simbólicas com a vida do paciente.

É uma metodologia especialmente efetiva para quem apresenta dificuldades relacionadas ao autoconhecimento, ajuda a relaxar, tranquiliza, o que a torna altamente recomendável para o tratamento de pessoas agressivas, hiperativas, inseguras, com baixa auto-estima e apresentando comportamento obsessivo-compulsivo. É indicada também para quadros de depressão e ansiedade, para pessoas que passaram por situações traumáticas, mesmo ocorridas na primeira infância, pois o Sandplay contribui para reconstruir a história psíquica da pessoa e organizar sua estrutura cognitiva. A emoção mais curativa que ele libera é a alegria.

O método tem uma estrutura acolhedora, um espaço livre onde o paciente pode montar a cena que quiser, sem qualquer preocupação relativa a julgamentos ou avaliações por parte do analista.

Imagem da Autora


Imagem da Autora


Para os terapeutas que quiserem conhecer e se aprofundar mais sobre a metodologia do Sandplay, sugiro a bibliografia abaixo:

  • Obras Completas C.G. Jung.
  • Sandplay: um toque psicoterapêutico para a psique ”Dora Kalff, Temenos Press, EUA, 2003.
  • Sandplay, passado, presente e futuro, Routledge, Londres, Nova York, 1994.
  • História da Consciência. Eric Neumann.
  • O Brincar e a Realidade. Winnicott.
  • A Psicoterapia Junguiana. Fordham.
  • Dicionário de Símbolos. Chevalier J. e Gheerbrant A.; Ed. José Olympio.
  • Imagens Do Self. Weinrib, E., Summus Editorial, SP, 1993.
  • A Terapia do Jogo de Areia. Ammann, R., Paulus, SP, 2002.
  • A Interpretação do Brincar na Caixa de Areia. Vieira, André G., Armazém Digital, Porto Alegre, 2006.
  • Adolescência e Escolha. Diaz, Patricia G., Casa do Psicólogo, 2009.
  • A criança, Eric Neumann. 
  • Terapia Familiar: mitos, símbolos e arquétipos. Boechat, Paula, Ed. WAK.


Enfim, espero ter colaborado com algumas de suas dúvidas. Se você se interessou sobre o assunto ou quer entender melhor as dificuldades do seu filho ou aluno, entre em contato e agende uma sessão de orientação. Para profissionais da psicopedagogia que necessitam de auxilio para diagnóstico e intervenção adequada, realizo supervisão nos seus atendimentos. 



Dra. Regiane Souza Neves
- Psicoterapêuta
- Neuropsicopedagoga
- Neuropsicóloga
- Psicopedagoga
- Psicanalista
- Psicomotricista
- Orientadora Vocacional e Profissional
- Diagnóstico e intervenção para os problemas emocionais, cognitivos e sociais que interferem na aprendizagem e comportamento.

Prof. Dra. Regiane Souza Neves - Atua há 26 anos na área da educação onde foi professora, coordenadora pedagógica e diretora, sendo que nesta última função permaneceu por 15 anos como diretora na educação básica e está há 7 anos como diretora do CEADEH Centro de Estudos Avançados em Desenvolvimento Educacional e Humano (escola de formação continuada para educadores). Também atua há 11 anos em clínica como neuropsicopedagoga, neuropsicologa, psicopedagoga, psicomotricista e psicanalista, onde realiza diagnósticos para transtornos do neurodesenvolvimento como TEA, TDAH, TOD entre outros. Há 20 anos atua em estudos e desenvolvimento de políticas públicas.