A evolução da chupeta, é o celular... Atenção, pais! Dica importante!


No último Congresso Paulista de Pediatria, foram amplamente discutidas as tendências atuais que levam pais e cuidadores a procurar meios de distrair as crianças pequenas, principalmente os bebês. Claro, que não poderiam deixar de citar o uso dos celulares e tablets. E segundo especialistas, é isso mesmo! O celular virou a nova chupeta. Mas cuidado pessoal, se não estabelecermos critérios e limites, o celular pode ser muito prejudicial durante esta fase do desenvolvimento infantil.

Segundo especialistas, o uso do celular por bebês (crianças até 2 anos), pode causar problemas visuais, tais como:
- Miopia 
- Descolamento de retina
- Catarata
- Glaucoma
- Atrofia de retina.

E estes são apenas alguns dos problemas identificados. O risco é maior quando a criança permanece mais de 30 minutos em frente a tela do celular.

Temos a oferta de diversos aplicativos focados no público de bebês (0 à 2 anos) que se dizem ser estimulantes para o desenvolvimento cognitivo. No entanto, menores de dois anos, por estarem na fase do desenvolvimento sensório motor, não deveriam ter contato com o digital, pelo menos por mais de 30 minutos, e sim, com o real. É preciso estimular atividades ao ar livre: crianças precisam ter contato com a luz do dia, brincar, correr, fazer atividade física, se sujar, tocar na terra, na areia, na água, na geleia... Enfim, crianças precisam ver o mundo de forma concreta.

Mas se não tiver jeito, caso você ache que a única solução pra distração do seu filho (a) seja algum tipo de mídia digital, é preferível a TV - desde que a criança permaneça uma distância maior de um metro, pelo menos. Isso não é o ideal, mas é preferível. A sugestão também, é que se a criança se sente mais atraída por computadores, tablets, celulares, do que pelo televisor, então estabeleça alguns critérios para o uso, como colocar limites de acesso em determinados conteúdos e regras de tempo (quantidade de horas) em que a criança poderá utilizar o equipamento. Atenção, isso é super importante para a saúde do seu filho em qualquer idade!

O bom senso é sempre um grande aliado na educação dos filhos. Sabemos que não há manual "politicamente correto", sabemos inclusive, que criar e educar filhos é um grande desafio desde sempre e que tanto pais quanto mães sempre se sentirão culpados ou pressionados no que diz respeito aos acertos e erros nesta criação. 

É importante entendermos, que passado o estágio sensório motor (0 à 2 anos), crianças que estejam no estágio pré-operatório (2 à 6 anos), além de ter contato com o mundo real, se interessam muito pelo mundo tecnológico e virtual, e isso pode ser muito favorável para o desenvolvimento cognitivo deles, uma vez que o mundo evolui rapidamente e nossa sociedade vive exatamente em função desta evolução, a busca pelo novo, pelo aperfeiçoamento e por conhecimento, nos dias de hoje, se deve muito as tendências tecnológicas. Por este motivo, tenha equilíbrio nesta questão, se por um lado deixar seu filho totalmente dependente dos equipamentos é ruim, por outro lado, deixá-lo sem ter o minimo de contato com este universo também é. Reflita... todo tipo de excesso é prejudicial. Por isso, é importante praticar o equilíbrio, seu filho pequeno precisa de estímulos, brincar ao ar livre, ter contato com o mundo real etc, mas à partir do momento que você estabelecer regras e limites, o uso de equipamentos tecnológicos também servirão como ferramentas de aprendizagem. 

Enfim, espero ter colaborado com algumas de suas dúvidas. Se você se interessou sobre o assunto ou quer entender melhor as dificuldades do seu filho ou aluno, entre em contato e agende uma sessão de orientação. Para profissionais da psicopedagogia que necessitam de auxilio para diagnóstico e intervenção adequada, realizo supervisão nos seus atendimentos. 


Agende uma consulta com a Dra. Regiane pelo Whatsapp 11 93215-1900. Consultórios em Osasco, São Paulo e Alphaville.


Consultas à partir de: R$ 100,00 para crianças e adolescentes / R$ 120,00 para adultos. Supervisão para profissionais à partir de: R$ 150,00.


Dra. Regiane Souza Neves - Tem 42 anos, é casada com o Jornalista Marcelo Neves há 20 anos, mãe de Bruno 18 anos e Allan 17 anos. É doutora e mestra em psicanálise; psicopedagoga e neuropsicopedagoga; psicomotricista; neuropsicóloga; orientadora vocacional; especialista em educação, inclusão, legislação educacional, saúde mental e políticas públicas. Técnica em magistério público e comunicação social. Atua há 25 anos na área da educação onde foi auxiliar de sala, professora, coordenadora e diretora, sendo que nesta última função permaneceu por 19 anos. Também atua há 10 anos na área de psicoterapia e análise comportamental e institucional. Está devidamente cadastrada no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para atuar como Perita Judicial e Extrajudicial, nas suas áreas de conhecimento técnico-científico. Atualmente, coordena e ministra aulas em programas de pós-graduação e, além de atender clinicamente, também realiza consultoria educacional para várias instituições de ensino e órgãos públicos. Tem 11 livros publicados com 56 selos de recomendações de importantes instituições. Realiza palestras, treinamentos, cursos, workshops, seminários, colóquios, conferências, mesas redondas e congressos. Desde 2013, é mantenedora e diretora do CEADEH Centro de Estudos Avançados em Desenvolvimento Educacional e Humano. Foi presidente nacional da ABRAPEE Associação Brasileira de Profissionais e Especialistas em Educação, no período de 2013 à 2018. Dedica-se a causas sociais e se tornou Embaixadora no Brasil de uma campanha mundial, durante o período de 2015 à 2018. Recebeu 27 prêmios e homenagens nacionais e internacionais.


Mais de 20 mil pessoas já participaram das palestras da Dra. Regiane Souza Neves

Mais de 20 mil pessoas já participaram das palestras da Dra. Regiane Souza Neves
clique na imagem e acesse mais informações

Clique na imagem para conhecer o CEADEH

Agenda de final de ano:

Agenda de final de ano: